Instituto Siegen design by
IntersisT
Instituto de Pesquisas Acadêmicas Siegen
Instituto Siegen
 
 
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
 
 

A MORTIFICAÇÃO DA MÍDIA PRIMÁRIA PELAS IMAGENS

Uma reflexão a partir do pensamento de Dietmar Kamper em Von Wegen (München : Fink, 1998) Günter Wilhelm Uhlmann Artigo elaborado originalmente para o COS / PUCSP : SÃO PAULO, 2002 O Mundo ocidental a partir de Kamper (1998) tem por lema fazer uma imagem de tudo e de todos. Elabora-se a imagem de um corpo, mídia primária na conceituação de Pross (1972), para poder-se rapidamente esquecer da ação e do próprio corpo. O corpo vivo que a gerou passa a ser secundário, mortificado e esquecido, que leva a Kamper a perguntar “o que fazer com tantos Defuntos”. O que fazer com os corpos mortificados em imagens. Corpos vivos, que para continuarem a viver necessitam de contato, de conexão, de vínculos efetivos que a imagem, intocável, não é capaz de suprir. Afirma Baitello (2002) que “o primeiro sacrifício (...) termina por ser o próprio corpo, em sua complexidade multifacetada, tátil, olfativa, auditiva, performática e proprioceptiva”. (...)

Dietmar Kamper, Von Wegen, imagem , mídia primária, Pross,

Arquivo:ATT00014.pdf

Autor: UHLMANN, Günter Wilhelm

Data: 2008-01-31

 
 

www.institutosiegen.com.br
"Saber é compreendermos as coisas que mais nos convém."
Friedrich Nietzsche